Posts filed under ‘Recopa Sul-Americana’

Colorado perde a segunda decisão em oito dias

     Se tem uma coisa que o futebol não aceita é campeão antecipado. E como o Internacional de Porto Alegre foi campeão antecipado de cinco torneios em 2009, ano do seu centenário, os adversários entraram mordidos e não tomaram conhecimento do favoritismo do clube vermelho do Rio Grande do Sul, o time que é um “celeiro de ases”, como cantado em seu bonito hino. Agora restam ao time que era quíntupla coroa antecipada os títulos importantes do Brasileirão e da Sul-Americana, o que será muito bem recebido pelos colorados.

     Ontem, o time vermelho foi um arremedo de si mesmo,um fantasma com uma galeria de craques desfilando em Quito, em plena altitude. O melhor é que o time começou atacando bem, com Kléber cobrando falta perigosa, aos seis minutos. depois, aos sete, Nilmar cabeceou com perigo um cuzamento de D’Alessandro,o craque e maestro. Quando tudo parecia estar sob controle para a Máquina Colorada, uma primeira surpresa: o gol de Espinola, de cabeça, de longe do gol, com a bola passando po Danny Morais. O estádio veio abaixo, com o iminente segundo título internacional do tradicional time equatoriano, e em cima de um quíntupla coroa antecipada. Depois,o Inter até controlara o jogo, só levando sufoco com um chute de Vera, aos 33 minutos. Nilmar perdeu dois gols na sequência, aos 37, sendo a segunda uma bomba na trave. O gol do Inter estava por vir, segundo diria toda a otimista torcida colorada, agora de um time com 100 anos e três meses. Só que ninguém contava com o tiro de misericórdia, o segundo gol equatoriano. Foi como se estivessem colocando aos poucos o caixão do Inter no buraco e de repente alguem soltasse a corda, deixando o caixão explodir no fundo da cova. Daí para a frente, o Inter entregou os pontos, ou melhor, ate que pelejou, mas foi uma luta mais para constar, como foi no Bera-Rio, contra o Corinthians, quando o campeão antecipado da Copa do Brasil perdeu a decisão para o time paulista.

     Após o intervalo, o Inter entraria no segundo tempo com Andrezinho, e depois colocaria em campo Alecsandro. Nada disso daria resultado, ainda mais que o time pecisava fazer tês gols para aspiar ao título da Recopa, o segundo no ano; o outro foi o Gauchão. Aos oito minutos, com o Inter morto em campo, Vera fez o terceiro e último do jogo, dessa vez com o pé e com leve desvio em Danny Morais, o zagueiro grandalhão. Fatura ganha com goleada. O Inter, só para constar, quis fazer seu gol de honra aos 12 e 24, em chutes de Andrezinho, sem direção, e em bomba de Guiñazu e conclusão de Alecsandro, esta a mais perigosa. O jogo estava mesmo destinado a não ver gol do Inter, que ainda escapou de levar o quarto,mas aí seria humilhação demais para os gaúchos, que travaram o lance na hora “h”, aos 40 minutos. Fim de jogo, e os humilhantes 3 a 0 ilustravam o placar em Quito, que viu um time aguerrido e um campeão antecipado meio boquirroto, desconjuntado, juntando cacos de derrotas seguidas.

     Cai mais uma vez uma máquina, a colorada, que agora volta suas forças para o próximo jogo do Brasileirão, domingo, contra o arremedo Alético Paranaense, que deve pagar o pato da perda de mais um título da máquina, em partida em plena Arena da Baixada. Que os deuses tenham piedade do Furacão, que hoje sopra mais fraco que uma bisa, comandado pelos rodados Rafael Moura e Paulo Baier. Será que vem passeio colorado por Curitiba? É o que veremos no domingo.

julho 10, 2009 at 2:53 pm Deixe um comentário

Colorado joga bem, mas perde para LDU na Recopa

     No jogo de ontem à noite, pela Recopa, o Internacional de Porto Alegre jogou até que bem, motivado por um estádio cheio, o Beira-Rio, onde o Inter se acostumou a comemorar títulos. Só que o Inter não contava com a força da LDU, do Equador, que resistiu bem à força de Taison e do ontem apagado D’Alessandro, segundo Bob Sousa, um corintiano que acompanhou o jogo de ontem para ter uma prévia do que espera o Corinthians no dia D, o  1º de julho de 2009, quando decidirão a Copa do Brasil Corinthians e Internacional, este o campeão por antecipação de tudo o que disputa no ano, menos para Bob Sousa, corintiano teimoso.

     E no primeiro tempo de ontem, pela final da Recopa, a disputa entre o campeão da Libertadores e o da Sul-Americana, o Inter mostrou-se mais encorpado. Mesmo sem vencer há cinco jogos, os colorados foram com tudo para cima, vendo também a torcida entoar belos cânticos, parecendo muito a torcida do Boca Juniors, ou até mesmo a do Estudiantes, quem sabe? O primeiro susto para a LDU veio aos nove minutos, com Taison chutando para fora, mas perto do gol. Depois, aos 26, novamente Taison, o melhor jogador em campo no fim das contas, o “Maradona dos Pampas”, criou nova chance de gol aos 26, mas desta vez foi interceptado por bela defesa de Dominguez, o grandalhão da LDU, com 1,98m. A LDU respondeu ainda no primeiro tempo, aos 28 e aos 39, com duas bombas para duas defesas do bom arqueiro Lauro. E o primeiro tempo, no frigir dos ovos, terminou com essas quatro boas chances de gol, e o Inter dominando mais a posse de bola.

     No segundo tempo, Tite colocou Giuliano para jogar, em lugar de Andrezinho. Doce ilusão de que o gol sairia. Até que o Maradona dos Pampas tentou aos seis minutos, mas Dominguez defendeu novamente. O lance seguinte foi o do gol da LDU, aos 11 minutos. A bola saiu para a esquerda do ataque da LDU, foi lançada para a área, bateu num zagueiro do Inter, sobrou para Bieller, que tentou duas vezes: na primeira, Lauro defendeu, mas na segunda a bola foi para o fundo das redes, inapelável. LDU 1 a 0. E tinha até torcida equatoriana no Beira-Rio para a televisão mostrar após o gol da LDU, o único do bom jogo. O clima estava quente, e Renato Marsiglia atribuía ao árbitro, que deixara a catimba, os pontapés, os solavancos e as provocações rolarem soltos no Beira-Rio. Resultado: teve que ser mais rígido no segundo tempo, quando, aos 26 minutos, viu Bolívar dar uma cotovelada num atleta da LDU, em disputa corpo-a-corpo de um lance. Sua Senhoria mostrou o cartão vermelho para Bolívar, não Simón, mas o lateral-direito do Inter. A partir daí, as coisas ficariam mais difíceis para o colorado, que teria a chance do jogo no pé de Taison, o nosso Maradona, mas ele desperdiçou com um chute para cima do gol, aos 38 minutos. E o jogo foi até os 48 minutos, quando o árbitro encerrou o sofrimento do torcedor colorado, que espera que o mês vire logo para voltar a sorte ao Beira-Rio, enquanto o time ainda está vivo, e muito vivo, na final da Copa do Brasil, e no Brasileirão, no qual é vice-líder, e o time possa confirmar a fama de campeão antecipado de todas as cinco disputas de 2009: o Gauchão, a Recopa, a Copa do Brasil, o Brasileirão e a Sul-Americana. Haja fôlego para tanto título. Será que vai dar para o nosso colorado ganhar a quíntupla coroa?

junho 26, 2009 at 7:23 pm Deixe um comentário


Agenda

agosto 2017
S T Q Q S S D
« mar    
 123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
28293031  

Posts by Month

Posts by Category