Posts filed under ‘Copa da Uefa’

Quinteto brasileiro dá titulo da Uefa a Shakhtar

     Não foram dois ou três os brasileiros escalados para disputar a final da última Copa da Uefa da história, pois a partir do próximo ano o torneio se chamará Liga Europa da Uefa. Como diria Dom Fabrizio, príncipe siciliano do livro “O Leopardo”, sobre o período da Unificação Italiana, “é preciso que as coisas mudem para que permaneçam iguais”. E assim será com o segundo campeonato mais importante do continente onde o futebol é mais vistoso e rico no planeta. O Brasil entrou em campo com cinco jogadores para defenderem as cores do ucraniano Shakhtar Donetsk: William, Fernandinho, Jadson, Ilsinho e Luiz Adriano. Da parte do alemão Werder Bremen, o outro finalista da partida disputada em Istambul, só jogou um brasileiro, Naldo, pois o outro, um dos melhores maestros da Europa, Diego, pretendido pela Juventus de Turim, estava suspenso.

     E como jogaram os cinco brasileiros do time ucraniano, pela primeira vez campeão de alguma coisa além de um campeonato da gelada Ucrânia. Para começar, a jogada do primeiro gol da partida foi toda brasileira, um lance verde-e-amarelo contra os famosos “Papagaios” de Bremen. Luiz Adriano, que já perdera uma chance clara de gol no início da partida, não perdoou aos 25 minutos, ganhou do brasileiro Naldo na velocidade e chutou para as redes, incendiando Istambul, outrora Constantinopla, capital do Império Bizantino, o Império Romano do Oriente. Só que o primeiro tempo e a própria partida não acabariam nesse lance. Um brasileiro, o único do Werder presente em campo, Naldo, empataria o jogo com um gol de falta.

     No segundo tempo, não houve muitas chances claras de gol, e os dois times resolveram cozinhar o galo, esperar mesmo a prorrogação, como se fossem tirar novas forças para vencer o jogo. E o que se viu na prorrogação foi o brilho de uma estrela, a de Jadson, aos seis minutos do primeiro tempo da prorrogação; ele chutou rasteiro e venceu a barreira alemã, ultrapassou a linha que divide os jogadores normais, guerreiros, dos conquistadores, desbravadores, pois levou para a desprezada Ucrânia, isso em termos de futebol, o título de campeã da Copa da Uefa. Talvez não ergam uma estátua em homenagem a Jadson na Ucrânia, em Donetsk, mas deveriam, sem dúvida, pois esse brasileiro e os outros quatro colocaram o rico time ucraniano no mapa do futebol mundial.

     Puxo pela memória, e só consigo igualar o feito do Shakhtar ao de times igualmente de países que não são de primeira linha do futebol mundial, como o Celtic, da Escócia, o Steaua Bucareste, da Romênia e o Estrela Vermelha, da ex-Yugoslávia, campeões da Uefa Champions League em 1967, 1986 e 1991, respectivamente. Definitivamente, os cinco brasileiros entraram para a história na histórica Istambul de 2009.

maio 20, 2009 at 11:33 pm Deixe um comentário

Werder Bremen vai à final da Copa da Uefa, mas sem Diego

     O Werder Bremen, um dos grandes times da Alemanha, conseguiu reverter, de maneira histórica, a vantagem obtida por seu rival de norte germânico: o Hamburgo, numa semifinal de Copa da Uefa. O campeonato, que a partir do ano que vem se chamará Copa Europa, será decidido no dia 20 de maio, em Istambul. A cidade de Istambul, na divisa entre a Europa e a Ásia, separa os continentes pelo Estreito de Bósforo, e foi o marco do fim da Idade Média e início do Período Moderno, em 1453, quando os turcos-otomanos tomaram a que à época se chamava Constantinopla, e era a capital dos bizantinos. Muita tradição em jogo, apesar de o campeonato ser uma espécie de segunda linha européia, reservada aos clubes que não se classificam à Uefa Champions League, ou são desclassificados precocemente desta, destinada aos primeiros colocados de cada campeonato nacional europeu. Itália, Inglaterra e Espanha, por exemplo, classificam seus quatro primeiros colocados para a Champions.

     Voltemos ao que nos interessa, que foi a grande virada do time de Bremen. A equipe entrou em campo praticamente derrotada e eliminada por antecipação, pois na primeira partida da semifinal perdeu em casa, pelo placar de 1 a 0. E o adversário era o Hamburgo, tradicional rival, clube que mais edições disputou do campeonato alemão, junto com o Stuttgart: 61. Nem o Bayern disputou tantos campeonatos germânicos. E com 13 minutos de partida, eis que Olic, atacante do Hamurgo, faz um gol. Era muito para o Werder Bremen, mas os alemães são famosos por nunca se entregarem, mesmo que seja um time alemão recheado de estrangeiros. Um, em especial, chamou a atenção no jogo de ontem. Quando todos pensavam que Diego, o brasileiro meio-campista, fosse entregar os pontos pela iminente desclassificação, ele resolveu jogar o fino da bola. Fez um gol para empatar o jogo e acertou todos os muitos passes que deu. Em suma, tomou conta do jogo. O gol de Olic parece ter irritado o meia brasileiro. E o Hamburgo se fechou, temendo pelo pior, que veio aos 24 minutos do segundo tempo, em forma de castigo e com nome de conquistador espanhol: Claudio Pizarro, o peruano, sobrenome do conquistador do Império Inca. Gerd Wenzel, comentarista alemão da ESPN Brasil, disse que o peruano faz muitas trapalhadas, logo depois que Pizarro perdeu um gol feito. E o nosso trapalhão herói peruano viu Baumann, um legítimo germânico, fazer o terceiro gol do Werder,à Beckenbauer, quase dividindo de cabeça contra os pés do zagueiro hamburguês, e sacramentar a vitória, que ficou mais apertada com um segundo gol do Hamburgo. E o que mais chamou a atenção foi o cartão amarelo recebido pelo maestro Diego, um  autêntico discípulo de Zidane na partida de ontem. Com o cartão, o condutor dos alemães fica fora da final do dia 20, contra o ucraniano, mas pode chamar de brasileiro, Shakhtar Donetsk, pois o time conta com Ilsinho, Jadson, William, Fernandinho e Adriano.

maio 8, 2009 at 11:31 pm Deixe um comentário


Agenda

agosto 2017
S T Q Q S S D
« mar    
 123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
28293031  

Posts by Month

Posts by Category